A igreja – vamos começar assim

Mateus 16:13-18; Atos 2:41-47

Estamos cercados por igrejas. Numerosas e variadas. Aliado às inúmeras distinções, denominacionais ou não, está o fato de que cada igreja local tem sua própria cultura. As “igrejas da mídia”, ou virtuais, podem ser vistas na televisão e internet, onde algumas das características de uma “igreja” estão presentes: músicas são cantadas, sermões são pregados, ofertas são recolhidas, e as vidas das pessoas são influenciadas. Mas sem um endereço físico, real, as pessoas não podem se reunir com outras e participar juntas. Além disso, algumas seitas imitam igrejas e têm seguidores leais. Não é de se admirar, no meio disso tudo, que exista tanta confusão a respeito da igreja. Nossa ideia sobre igreja precisa ser renovada, então vamos começar pelo começo.

Copyright ©2012 ℗ 2018 por Charles R. Swindoll, Inc. Todos os direitos reservados mundialmente. Esta produção é unicamente para o seu uso pessoal. Infrações civil e de direitos autorais são cometidas quando este material é disponibilizado na internet, apresentado publicamente, copiado ou colocado em qualquer sistema de armazenamento e recuperação de informação hoje conhecido ou ainda a ser criado, sem permissão escrita previamente por Insight For Living e Razão Para Viver.

REF: CHA-1 Categoria: Tags: , ,

Essa mensagem faz parte da série “O despertar da igreja”

Nós não queremos admitir, mas a honestidade nos leva a encarar o fato de que a igreja se distanciou demais de suas amarras bíblicas …. E é na hora de voltar. É tempo de renovação.

Nesta série de 9 estudos: O Despertar da Igreja, um chamado urgente para uma nova reforma, vamos lidar com que estão bombardeando muitas igrejas:

  • Qual é a forma certa de adorar – corais ou hinos; jeans ou togas?
  • O que exerce mais influência: a igreja na cultura … ou a cultura na igreja?
  • A relevância e o entretenimento substituíram a reverência e a devoção bíblica?
  • A pregação da Palavra de Deus é tão importante assim?

Esta série funciona como um mapa baseado na Bíblia, que nos guia de volta aos fundamentos do que Jesus espera que a Igreja seja. E nos dá o encorajamento necessário para dar os primeiros passos.