Quem escreveu o livro?

Semelhante ao resto do Pentateuco, a tradição universal judaica e cristã atribui a autoria do livro de Números a Moisés. Ele é a figura central no livro, e em pelo menos duas ocasiões Números o menciona, registrando eventos e comandos do Senhor (Números 33:2; 36:13).

O nome “Números” é a tradução da palavra grega Arithmoi da Septuaginta, intitulado assim, porque o livro contém muitas estatísticas, contagens da população, figuras tribais e sacerdotais, e outros dados numéricos. Enquanto o nome hebraico vem da primeira frase do livro e significa “no deserto de”; talvez seja uma descrição mais precisa do conteúdo do livro, que segue os israelitas através de quase quarenta anos de vagueação no deserto.¹

Qual o contexto?

Os eventos do livro começaram no segundo ano depois que os israelitas deixaram o Egito, quando estavam acampados no Monte Sinai por volta de 1.444 a.C. (Números 1:1). A narrativa termina 38 anos mais tarde “nas campinas de Moabe, junto ao Jordão, frente a Jericó” (36:13) em 1.406 a.C. Números registra longa peregrinação do povo no deserto do Sinai, seu tempo no oásis de Cades-Barnéia, e sua eventual chegada às margens do rio Jordão, em frente à Terra Prometida.

O Senhor dirigiu a mensagem de Números para a geração mais jovem, os filhos dos ex-escravos que escaparam através do Mar Vermelho. Com exceção de Josué, Calebe e Moisés, a geração mais velha – todos a partir de 20 anos de idade na época do primeiro censo, morreram antes da conclusão de Números, devido à sua desobediência e à sua incredulidade (Números 14:22-30). Moisés completou o livro antes da sua morte (Deuteronômio 31:24).

Por que esse livro é tão importante?

Números leva o leitor a um caminho longo e tortuoso através de um deserto de detalhes minuciosos. O livro registra os resultados do censo para todas as doze tribos, não uma, mas duas vezes; documenta instruções sacerdotais para lidar com a Arca da Aliança e com o Tabernáculo; e até mesmo esclarece o posicionamento das tribos quando eles acampavam. Mas apesar de tudo, não podemos duvidar da direção infalível de Deus sobre a nação.

Como história da nação ainda não estabelecida na terra prometida a eles há muito tempo, este livro revela os eventos significativos que foram às vezes mencionados posteriormente na Bíblia. Somente Josué e Calebe, entre os doze espiões, encorajaram Israel para tomar posse da terra (Números 13-14; Josué 14:7); Moisés feriu a rocha e a água jorrou afora (Números 20:11; Salmo 106:32); Moisés levantou a serpente de bronze num poste para que os crentes israelitas pudessem ser curados de suas picadas de cobra (Números 21:6-9; João 3:14); Balaão e foi repreendido por seu jumento (Números 22:21-34; Apocalipse 2:14).

Qual é a ideia principal?

Neste livro, o povo de Israel testou a paciência de Deus, e Ele, por sua vez, testou sua resistência e fidelidade. Embora o povo tenha fracassado muitas vezes, Deus mostrou a Sua fidelidade com a Sua presença constante liderando o caminho: através de uma coluna de nuvem de dia e uma coluna de fogo de noite.

Mais do que apenas uma aula de história, o livro de Números revela como Deus lembrou a Israel que Ele não tolera a rebelião, reclamação, e descrença sem invocar consequências. Ele ensinou o Seu povo a andar com Ele, não apenas com os pés no deserto, mas com a boca em  adoração, mãos em serviço, e vidas como testemunhas às nações vizinhas. Ele era o Deus deles, eles eram o Seu povo, e Ele esperava que eles agissem como tal.

Como colocar em prática?

Os leitores modernos podem tirar de Números não apenas uma história completa dos primeiros dias de Israel, mas também um sentido renovado do prazer de Deus na obediência. Ele é também o nosso Deus, e Ele quer que vivamos com retidão e que O adoremos através de nossas palavras e obras.

A jornada dos israelitas através do deserto foi destacada pelo apóstolo Paulo, quando ele escreveu sua primeira carta à igreja de Corinto. “Essas coisas ocorreram”, escreveu ele em 1 Coríntios 10:6, “como exemplos para nós, para que nós não cobicemos coisas más, como eles fizeram”.

Você vê alguma semelhança entre os israelitas resmungões e rebeldes e você? Como você pode evitar a seguir o exemplo deles? Com humildade e sinceridade, ore por um coração quebrantado e aberto à mão orientadora de Deus.

Notas de rodapé

  1. Eugene H. Merrill, “Numbers,” The Bible Knowledge Commentary: Old Testament, ed. John F. Walvoord e Roy B. Zuck (Wheaton, Ill.: Victor Books, 1985), 215.

Artigos

blog-grid

Leia Números 27:12-23. Moisés pede por um homem que “saia diante deles e entre diante deles, e os faça sair e os faça entrar; para que a congregação do Senhor não seja como ovelhas que não têm pastor”. (Números 27:17 JFAA) Em outras palavras...

Continuar lendo
blog-grid

Israel é como nenhum outro lugar na Terra. Para um peregrino idoso, ali estava a Terra Prometida: “À sua descendência darei esta terra” (Gênesis 12:7). Ali estava a terra de um homem orgulhoso que saiu mancando, com um novo nome depois de seu enco...

Continuar lendo