Quem escreveu o livro?

Como observamos no capítulo anterior, 1 e 2 Reis originalmente faziam parte de um livro de história. Seu autor não é indicado no texto nem conhecido pelos estudiosos. Ele foi, provavelmente, um profeta, porque muitos dos acontecimentos históricos foram registrados à luz da fidelidade – ou infidelidade – de Israel e Judá à sua aliança com Deus. Esdras, Ezequiel e Jeremias foram todos nomeados como possíveis autores.

Qual o contexto?

Segundo Reis continua a história do reino dividido, retomando a história em torno de 853 a.C. Em 722 a.C., quando a poderosa nação da Assíria invadiu o reino do norte, dispersando e levando cativo o povo de Israel. Apenas Judá permaneceu intacta. Mas, em seguida, a Assíria sofreu uma queda impressionante para os babilônios, que tomaram a capital assíria de Nínive em 612 a.C. Por 605 a.C. a Babilônia dominou Judá, levou alguns cativos, e em 586 a.C. a Babilônia destruiu Jerusalém e levou presos adicionais para o cativeiro. Muitas pessoas que foram consideradas valiosas para os invasores, como o profeta Daniel e os membros da família real, foram levadas para a Babilônia desde o início. No fim de Reis, o povo de Deus não morava mais na sua Terra Prometida. Muitas áreas do país se tornaram praticamente inabitáveis devido à demolição, queima e outras táticas destrutivas do exército babilônico, enquanto o povo foi escravizado, disperso e dizimado pelos seus inimigos.

O livro termina com uma espécie de epílogo, dando uma espiada na boa sorte de Joaquim – o último e verdadeiro governante de Judá, antes de uma série de reis fantoches instalados pela Babilônia. Se Jeremias escreveu grande parte de Reis, ele não poderia ter escrito esta seção situada na Babilônia, pois ele foi levado para o Egito anos antes.

Por que esse livro é tão importante?

Segundo Reis destaca exclusivamente vários eventos e pessoas. Duas pessoas foram ressuscitadas dentre os mortos (2 Reis 4:32-37; 13:20-21). O profeta Elias deixou esta terra sem morrer (2:1-18); só Enoque foi o outro homem na Bíblia a ter o mesmo destino (Gênesis 5:21-24). As águas do rio Jordão se dividiram duas vezes (2 Reis 2:8, 14). Estes e outros acontecimentos milagrosos testemunham a obra contínua de Deus no meio do Seu povo.

O período descrito por este livro viu o surgimento dos primeiros profetas escritores em Israel. Amós e Oséias foram para o povo de Israel, enquanto Isaías, Joel, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias e Jeremias profetizaram em Judá e ambos os grupos levaram o povo ao arrependimento e os alertaram dos juízos vindouros de Deus. O autor dedicou um espaço amplo para o ministério de Eliseu depois que Elias foi levado ao céu, dando especial atenção aos inúmeros milagres realizados por Eliseu.

Nenhum dos reis de Israel foi descrito como tendo feito o que era reto aos olhos de Deus; cada um conduziu o povo na idolatria mais profunda. Vários dos reis de Judá eram justos, particularmente Joás, Uzias, Ezequias e Josias. Ezequias deteve os assírios por confiar no Senhor para o livramento. Josias mais tarde instituiu uma reforma espiritual ainda maior. Nenhum esforço, no entanto, foi o suficiente para conter o eventual juízo de Deus sobre a nação em cumprimento das maldições da aliança mosaica (Deuteronômio 28).

Qual é a ideia principal?

Assuntos mundiais desempenharam um papel pesado nos destinos de Judá e Israel. No entanto, o autor de 2 Reis conectou diretamente a renúncia dos israelitas – liderada por seus reis ímpios – à sua destruição nacional, salientando como o julgamento de Deus sobre Seus filhos rebeldes. Apesar das repetidas advertências dos profetas de Deus para se afastar dos seus caminhos e voltar a Deus, o povo continuou a viver em pecado. Para seu pesar, ele não acreditava que Deus iria permitir que sua nação fosse arruinada por invasores estrangeiros.

No entanto, Deus também não esqueceu de Sua promessa a Davi. Deus salvou um remanescente do meio do povo e manteve a linhagem real intacta para que um dia o Seu povo pudesse voltar à sua terra para aguardar o Redentor prometido.

Como colocar em prática?

Segundo Reis ensina uma lição de vida importante: ações têm consequências. “Arrependei-vos! Pecado incorrerá em julgamento”, Deus advertiu com vigor através dos profetas. Israel e Judá aprenderam da maneira mais difícil que Deus é sério com o que Ele diz.

Será que vamos aprender? Considere o seu coração. É duro e resistente ao chamado de Deus? Ou você pode reconhecer o seu pecado e voltar para Ele?


Artigos