Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma. (Tiago 1:2-4)

Primeiro: é muito comum o cristão enfrentar lutas.

Nunca permita que alguém diga a você que, quando a pessoa passa a ser cristã, as lutas terão um fim desse dia em diante. Caia na real! Note que Tiago diz: “(…) considerem motivo de grande alegria o fato de passarem (…)”, não ‘se passarem’. Se você está passando por lutas, pertence à regra, não à exceção. Se acabou de passar por uma, recobre o ânimo; haverá mais pela frente. Passar por lutas é uma coisa que nos une.

 

Segundo: as lutas acontecem em vários níveis.
Elas podem ser físicas, emocionais, financeiras, entre parentes ou espirituais. Elas podem bater repentinamente às portas do seu trabalho, de sua igreja ou de seu lar. Elas podem chegar a qualquer momento ou época. Elas podem ser súbitas, como um acidente de carro ou uma catástrofe natural. Elas podem ser prolongadas, como um caso no tribunal ou uma demorada e irritante enfermidade. As lutas podem ser públicas ou privadas. Elas podem estar diretamente relacionadas com nosso pecado, com o pecado de outras pessoas, ou não ter qualquer relação com o pecado.
Terceiro: as lutas colocam a fé à prova.
Não importa qual seja a força ou a intensidade, há algo sobre o sofrimento que simplifica a vida e nos traz de volta às bases. Invariavelmente, especialmente durante a luta mais intensa, volto às minhas raízes teológicas. Volto-me para o que realmente acredito. Retorno ao essencial, como oração e dependência, aquieto-me e espero em Deus. As lutas colocam a fé à prova, bem como aumentam a nossa confiança nele. Elas nos forçam ao alicerce da fé, sobre o qual estamos fundados.
Quarto: sem as lutas, não poderia haver maturidade.
Tiago diz que passamos pelas provas para que nos tornemos perfeitos e íntegros (versículo 4). Isto, segundo ele, é o perfeito resultado da perseverança. Com frequência, devido ao desconforto da dor ou da dificuldade, tentamos encurtar a nossa luta, colocar um fim nela. Após pouco tempo, ficamos tão ressentidos que tentaremos qualquer coisa para escapar dela. Ao invés disso, Tiago diz, perseverança. Deixe que ela piore. Quando isso acontecer, você será a pessoa mais apropriada para enfrentá-la. Algumas lutas são leves, curtas e logo esquecidas. Outras permanecem e pesam sobre nós. Elas nos deixam exaustos e, em algumas vezes, quase nos levam a extremos.

Poucas coisas podem ser comparadas à alegria de vermos Deus em ação, resolvendo um problema aparentemente impossível.

Anexos
  • verdades-biblicas-sobre-as-lutas-2
Charles R. Swindoll

Charles R. Swindoll tem dedicado a sua vida ao ensino preciso e prático da Palavra de Deus e sua aplicação. Desde 1998, atua como pastor-professor sênior na Stonebriar Community Church, igreja da...

Ver todos os posts

Posts relacionados