Quem escreveu o livro?

O profeta Miquéias identificou-se por sua cidade natal, chamada Moresete-Gate, que ficava perto da fronteira dos filisteus e de Judá a cerca de 40 km a sudoeste de Jerusalém. Morando em uma região dominantemente agrícola do país, Miquéias viveu fora dos centros governamentais do poder da sua nação, o que explica sua forte preocupação com os humildes e menos favorecidos da sociedade, os coxos, os excluídos e os aflitos (Miquéias 4:6 ). Portanto, Miquéias dirigiu grande parte da sua profecia para os líderes poderosos de Samaria e de Jerusalém, as capitais de Israel e Judá respectivamente (1:1).

Qual o contexto?

Como um contemporâneo de Isaías e Oséias, Miquéias profetizou durante os anos mais importantes que cercavam a trágica queda de Israel para o Império Assírio (722 a.C.), um evento que ele também previu (Miquéias 1:6). Miquéias declarou em sua introdução ao livro que ele profetizou durante os reinados de Jotão, Acaz e Ezequias em Judá, deixando de mencionar a sequência simultânea dos reis vergonhosos que liquidaram o reino norte de Israel.
Durante este período, enquanto Israel desmoronava com os efeitos da má e infiel liderança, Judá parecia um passeio de montanha-russa – ascendia nas alturas do seu destino em uma geração, apenas para cair no marasmo em outra. Em Judá, neste momento, bons e maus reis alternavam entre si, um padrão observado nos reinados de Jotão (bom, 2 Reis 15:32-34); Acaz (mau, 2 Reis 16:1-4); e Ezequias (bom, 2 Reis 18:1-7).

Por que esse livro é tão importante?

O livro de Miquéias fornece uma das profecias mais significativas do nascimento de Jesus Cristo em todo o Antigo Testamento, apontando uns 700 anos antes do nascimento de Cristo à Sua terra natal de Belém e à Sua natureza eterna (Miquéias 5:2).
A profecia de Miquéias sobre o nascimento de Jesus é uma das imagens mais lúcidas do futuro do mundo sob o reinado do Príncipe da Paz (5:5). Este reino futuro, o que os eruditos chamam de o reino milenar, será caracterizado pela presença de muitas nações que vivem umas com as outras em paz e segurança (4:3-4) e próximas a Jerusalém para adorar o rei imperante, ou seja, o próprio Jesus (4: 2). Como esses eventos ainda não ocorreram, estamos ansiosos por este reino milenar em algum momento indeterminado no futuro.

Qual é a ideia principal?

Grande parte do livro de Miquéias gira em torno de duas previsões significativas: uma de juízo sobre Israel e Judá (Miquéias 1:1-3:12), a outra de restauração do povo de Deus no reino milenar (4:1-5:15). Juízo e restauração inspiram medo e esperança, duas ideias embrulhadas na sequência final da profecia de Miquéias em uma cena de tribunal em que o povo de Deus está em julgamento perante o seu Criador por se afastar Dele e dos outros (6:1-7:20). Nesta sequência, Deus lembra as pessoas de Suas boas obras em favor deles, como Ele se preocupava com eles, enquanto eles se preocupavam somente com si próprios. Mas ao invés de deixar o povo de Deus com o medo e atormentado pelo julgamento, o livro de Miquéias encerra com o apelo do profeta ao Senhor como sua única fonte de salvação e misericórdia (7:7), apontando as pessoas em direção a uma esperança eterna em seu Deus eterno.

Como colocar em prática?

Grande parte da acusação de Miquéias contra Israel e Judá envolve injustiça dessas nações em relação aos humildes – negócios injustos, roubos, maus-tratos de mulheres e crianças e um governo que vivia no luxo enquanto o povo de seu país trabalhava duro.
Onde é que a injustiça mora em sua própria vida? Quem são os humildes em sua vida? Você precisa de um chamado ao arrependimento, como os povos de Israel e Judá precisaram?
O apelo apaixonado de Miquéias ao povo escolhido de Deus para se arrepender vai colocar muitos de nós em cheque. A maioria de nós não decide desanimar as pessoas ou encontra formas de fazer a injustiça intencionalmente. Em vez disso, nós fazemos isso pela força do hábito. Permitamos que as palavras de Miquéias nos retirem da nossa apatia de estender a justiça e bondade aos outros e prossigamos em direção a um mundo que melhor se assemelha ao reino milenar harmonioso por vir. Que nos determinemos a viver como Deus deseja – “pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus” (Miquéias 6:8).


Artigos