Quem escreveu o livro?

O último livro do Antigo Testamento, Malaquias recebeu o nome de seu autor (Malaquias 1:1). O nome vem de uma palavra hebraica que significa “mensageiro”, que aponta para o papel de Malaquias como um profeta do Senhor, entregando a mensagem de Deus para o povo de Deus.¹ Malaquias não ofereceu nenhuma outra informação de identificação sobre si mesmo, deixando de fora os marcadores típicos de outros profetas, tal como o nome de seu pai ou o atual líder de Israel.

No entanto, com base no conteúdo do livro, torna-se evidente que Malaquias transmitiu sua mensagem de julgamento para um público judeu familiarizado com a adoração no templo de Jerusalém (2:11). O povo de Judá havia se afastado da verdadeira adoração ao Senhor, colocando-se sob o julgamento e em necessidade de salvação.

Qual o contexto?

Malaquias certamente escreveu para o povo de Judá (Malaquias 1:1; 2:11), mas o cenário histórico torna-se mais claro em Malaquias 1:8. Aqui o profeta usou a palavra persa para governador, indicando um período de tempo entre 538-333 a.C., quando o Império Persa governava a Terra Prometida. Malaquias também escreveu sobre a corrupção dos sacrifícios do templo, o que significa que ele provavelmente entregou sua mensagem muitos anos depois que os israelitas reconstruíram o templo em 515 a.C. As preocupações do profeta espelham aquelas de Neemias, sugerindo que Malaquias profetizou ao povo quando Neemias deixou a cidade por vários anos, a partir de 432 a.C. (Neemias 13:6).

Por que esse livro é tão importante?

A posição ímpar de Malaquias como o último livro do Antigo Testamento oferece um retrato dos corações de homens e mulheres israelitas, que eram os membros de uma nação que fora especialmente escolhida por Deus, descendentes de Abraão, e herdeiros da rica tradição do povo judeu. A sua história relatava as glórias como o êxodo do Egito e a fidelidade de Deus ao Rei Davi. Mas eles também tinham experimentado o julgamento de peregrinação no deserto e a vergonha do exílio da Terra Prometida.

Os israelitas tinham a vantagem e peso da história ao seu lado na época de Malaquias, que era bem mais de mil anos após a época de Abraão; eles podiam ver as brilhantes recompensas da fidelidade e as punições relacionadas com o julgamento, até o ponto de serem desarraigados de sua terra. Porém, mesmo com toda essa perspectiva, o livro de Malaquias nos conta que eles ainda se desviaram do caminho do Senhor. Eles precisavam da intervenção de Deus como sempre, por isso, esse livro, como uma declaração final do julgamento no Antigo Testamento, antecipa a obra salvadora de Deus através do Messias, Jesus Cristo.

Qual é a ideia principal?

O povo de Judá começou a ser exilado da Terra Prometida em 605 a.C., retornando da Babilônia setenta anos depois. Na época de Malaquias, eles já tinham retornado à terra havia mais de cem anos e estavam procurando as bênçãos que eles esperavam receber quando voltaram. Embora o templo tivesse sido reconstruído, o fervor dos primeiros israelitas que retornaram deu lugar a uma apatia completa para as coisas de Deus. Isso levou à corrupção desenfreada entre o sacerdócio e uma letargia espiritual entre as pessoas.

Malaquias veio num momento em que as pessoas estavam lutando para acreditar que Deus as amava (Malaquias 1:2). Eles se concentravam em suas circunstâncias infelizes e se recusaram a prestar contas de seus próprios atos pecaminosos. Assim, Deus apontou o dedo de volta a eles e, através de Malaquias, deixou claro ao povo onde eles falharam em sua aliança com Ele. Se eles esperavam ver as mudanças, eles precisavam assumir a responsabilidade por suas próprias ações e servir a Deus fielmente, de acordo com a promessa que seus pais fizeram a Deus no Monte Sinai, todos aqueles anos antes.

Como colocar em prática?

Ao longo da história de Israel, a nação falhou muita vezes e Deus chamava Seu povo de volta a Ele. Cada vez que Israel falhava, o ciclo começava de novo. A palavra final de Deus do Antigo Testamento diz respeito ao julgamento do pecado e testemunha a nossa incapacidade de amá-Lo sem a ajuda de Sua graça.

Você luta para seguir a Deus de forma consistente? O chamado de Malaquias nos leva a viver fielmente diante de Deus e oferece a esperança de que Deus renova constantemente a misericórdia ao Seu povo (Malaquias 3:1; 4:2, 5-6).

Notas de rodapé

  1. Francis Brown, S. R. Driver, e Charles A. Briggs, The Brown-Driver-Briggs Hebrew and English Lexicon (Peabody, Mass.: Hendrickson, 2006), 521.

Artigos

blog-grid

O “Livro da Vida” é um conceito do Novo Testamento que tem raízes profundas no Antigo Testamento (Êxodo 32:32-33; Daniel 12:12; Malaquias 3:16). Os crentes durante os tempos do Antigo Testamento eram salvos pela graça, mediante a fé, enquanto hon...

Continuar lendo