Quem escreveu o livro?

O conteúdo do Levítico se relaciona diretamente com Êxodo, fornecendo evidências de que a mesma mão escreveu os dois livros. Os argumentos que sustentam a escrita de Moisés de Êxodo também defendem a autoria de Moisés de Levítico. Além disso, encontramos mais de cinquenta ocasiões em que o texto diz algo como: “O Senhor disse a Moisés” (Levítico 1:1; 4:1; 5:14; 6:1). O Novo Testamento também refere-se a Moisés como o autor de passagens de Levítico (Mateus 8:4; Lucas 2:22; Hebreus 8:5).

A palavra Levítico é derivada da tribo de Levi, cujos membros foram separados pelo Senhor para serem Seus sacerdotes e líderes de louvor. Como um título, a palavra é traduzida da Septuaginta, que significa “referentes aos levitas”, e, apesar desta tribo em si não ser enfatizada ao longo do livro, o assunto sacerdotal torna o título apropriado.¹ Seu conteúdo foi originalmente concebido para instruir a nova nação de Israel na adoração adequada e viver correto, para que eles pudessem refletir o caráter do seu divino Rei.

Qual o contexto?

A Lei em Levítico foi dita por Deus a Moisés no Monte Sinai, ou perto dele, onde os israelitas acamparam durante algum tempo. Um vez que essas leis detalhadas foram proferidas por Deus depois dos Dez Mandamentos originais, a data mais provável para sua revelação é 1.446 a.C. Se todas as leis foram escritas naquele tempo, é impossível determinar; pode ser que elas tenham sido sistematizadas gradualmente no decorrer dos quarenta anos seguintes de peregrinação.

Por que esse livro é tão importante?

“O livro de Levítico era o primeiro livro estudado por uma criança judia; porém é muitas vezes, entre os últimos livros da Bíblia, a ser estudado por um cristão”.² Os leitores de hoje são muitas vezes intimidados pelas listas de leis do livro em matéria de dieta, sacrifício e comportamento social. Mas dentro dessas diretrizes altamente detalhadas descobrimos a santidade – a separação, distinção, e importância absoluta – de Deus. E nós aprendemos como o pecado devasta a relação da humanidade com seu Criador.

Deus estabeleceu o sistema de sacrifício para que Seu povo da aliança pudesse desfrutar de Sua comunhão através da adoração; isso também permitiu arrependimento e renovação:

Quando um adorador israelita colocava a mão sobre o animal a ser ofertado, ele se identificava com o animal como seu substituto… isto realizava uma transferência simbólica de seu pecado e uma transferência legal de sua culpa ao animal a ser ofertado. Deus aceitava, então, o abate do animal… como o pagamento de resgate para o pecado particular, o qual o ocasionou.

Muitos anos depois que Moisés escreveu Levítico, Jesus veio para oferecer a Si mesmo como o sacrifício final, santo e perfeito, uma vez por todas, cumprindo a Lei e tornando os futuros sacrifícios de animais desnecessários e inválidos (Hebreus 10:10).

Qual é a ideia principal?

A mensagem geral de Levítico é a santificação. O livro comunica que o recebimento do perdão e aceitação de Deus deve ser seguido por uma vida santa e crescimento espiritual. Agora que Israel fora redimido por Deus, eles deveriam ser purificados como um povo digno do seu Deus. “Sejam santos porque eu, o Senhor, o Deus de vocês, sou santo”, diz Levítico 19:2. Em Levítico aprendemos que Deus gosta que nos aproximemos dele, mas temos de fazê-lo em Seus termos.

Como colocar em prática?

Este tema de santidade se estende até a Igreja. No Novo Testamento, 1 Pedro 1:15-16 faz referência a Levítico 19:2, quando diz: “assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem, pois está escrito: ‘Sejam santos, porque eu sou santo’”. Aqueles que são resgatados pelas misericórdias de Deus oferecem diferentes sacrifícios hoje; eles oferecem a si mesmos (Romanos 12:1).

Assim como fez com os israelitas, Deus redimiu e consagrou os cristãos. Jesus se ofereceu como sacrifício perfeito em nosso lugar, tomando a punição que nós merecíamos, para que pudéssemos ser perdoados. Aqueles que colocam sua confiança no ato sacrificial de Jesus se tornam filhos de Deus, salvos pela graça (Efésios 2:8-9).

Se você for filho Dele, então Ele quer que você reflita o Seu caráter. Ele o santifica, tal como Ele fez com a nação de Israel. A sua vida reflete a de Deus? De que forma você está ficando cada vez mais semelhante a Cristo?

Notas de rodapé

  1. Raymond B. Dillard e Tremper Longman, III, An Introduction to the Old Testament (Grand Rapids: Zondervan, 1994), 73.
  2. Duane Lindsey, “Leviticus,” em The Bible Knowledge Commentary: Old Testament, ed. John F. Walvoord e Roy B. Zuck (Wheaton, Ill.: Victor Books, 1985), 163.
  3. Lindsey, “Leviticus,” 166.

Artigos