Quem escreveu o livro?

A tradição judaica atribuiu há muito tempo a autoria deste livro histórico ao escriba e erudito Esdras, que liderou o segundo grupo de judeus que retornaram da Babilônia a Jerusalém (Esdras 7:11-26). Esdras 8 inclui uma referência em primeira pessoa, o que implica a participação do autor nos eventos. Ele desempenha um papel importante na segunda metade do livro, assim como no livro de Neemias, a sua continuação. Na Bíblia hebraica, os dois livros foram considerados uma só obra, embora algumas evidências internas sugerem que eles foram escritos separadamente e unidos no cânon hebraico (e separados em traduções em português).

Esdras era um descendente direto do sumo sacerdote Arão (7:1-5), assim ele era um sacerdote e escriba em seu próprio direito. O seu zelo por Deus e Sua Lei estimulou Esdras a liderar um grupo de judeus de volta a Israel durante o reinado do rei Artaxerxes sobre o Império Persa (o qual já havia substituído o Império Babilônico que originalmente exilou o povo de Judá).

Qual o contexto?

O livro de Esdras registra dois períodos de tempo distintos diretamente após os setenta anos de cativeiro na Babilônia. Esdras 1-6 abrange o primeiro retorno dos judeus do cativeiro, liderado por Zorobabel – um período de vinte e três anos começando com o decreto de Ciro da Pérsia e terminando na reconstrução do templo em Jerusalém (538-515 a.C.). Esdras 7-10 retoma a história mais de sessenta anos mais tarde, quando Esdras levou o segundo grupo de exilados de Israel (458 a.C.). O livro não poderia ter sido concluído antes de cerca de 450 a.C. (a data dos eventos registrados em 10:17-44).

Os eventos em Esdras aconteceram em Jerusalém e seus arredores. Os exilados foram capazes de preencher apenas uma pequena parte de sua antiga pátria.

Por que esse livro é tão importante?

O livro de Esdras fornece uma ligação muito necessária no registro histórico do povo israelita. Quando seu rei foi destronado e capturado e o povo exilado na Babilônia, Judá, como nação independente deixou de existir. O livro de Esdras fornece um relato de reagrupamento dos judeus, de sua luta para sobreviver e reconstruir o que foi destruído. Através de sua narrativa, Esdras declarou que eles ainda eram o povo de Deus e que Deus não se esqueceu deles.

No livro de Esdras, testemunhamos a reconstrução do templo, a unificação das tribos que voltaram quando eles compartilharam as lutas comuns e foram desafiados a trabalhar em conjunto. Mais tarde, depois que os remanescentes originais pararam o trabalho das muralhas da cidade, a apatia espiritual predominou entre eles, e Esdras então chegou com mais duas mil pessoas e provocou um reavivamento espiritual. No final do livro, Israel renovara seu pacto com Deus e começou a agir em obediência a Ele.

Esdras também contém uma das grandes intercessões da Bíblia (Esdras 9:5-15; veja Daniel 9 e Neemias 9 para os outros). Sua liderança foi crucial para o avanço espiritual dos judeus.

Qual é a ideia principal?

A narrativa de Esdras revela dois problemas principais enfrentados pelos exilados: (1) a luta para restaurar o templo (Esdras 1:1-6:22) e (2) a necessidade de reforma espiritual (7:1-10:44). Ambos eram necessários para que as pessoas renovassem sua comunhão com o Senhor.

Um propósito teológico mais amplo também é revelado: Deus cumpre as Suas promessas. Através dos profetas, Deus ordenou que Seu povo escolhido voltasse a sua terra depois de um exílio de setenta anos. O relato de Esdras proclama que Deus cumpriu a Sua palavra, e isso mostra que quando o povo de Deus permaneceu fiel a Ele, Ele continuou a abençoá-los. Portanto, o livro enfatiza o templo e o culto adequado, semelhantes a Crônicas (que também foi escrito durante aqueles dias).

Como colocar em prática?

Deus comoveu os corações dos governantes seculares (Ciro, Dario e Artaxerxes) para permitir, até incentivar e ajudar, o povo judeu a voltar para casa. Ele usou esses aliados improváveis para cumprir Suas promessas de restauração para o Seu povo escolhido. Você já se deparou com fontes improváveis de bênção? Você já se perguntou como Deus poderia realmente fazer com que todas as coisas cooperassem para o bem daqueles que foram chamados por Seu decreto (Romanos 8:28)? Separe um tempo hoje para reconhecer a soberania e a misericórdia de Deus em sua vida. Renove o compromisso de sua confiança, seu amor e sua obediência a Deus.


Artigos