Quem escreveu o livro?

Cantares de Salomão adota seu título do primeiro versículo do livro, que menciona a origem da canção: “Cântico dos Cânticos de Salomão” (Cantares 1:1). A versão original em hebraico do livro recebeu seu título das duas primeiras palavras do livro, shiyr hashiyrim, que normalmente são traduzidas como “o Cântico dos Cânticos”. Este último título permaneceu em traduções gregas e da Bíblia em latim nos séculos posteriores. A repetição da palavra cântico indica que o escritor considerou este como “o maior de todos os cânticos”.¹ Nós encontramos uma construção semelhante em outras frases bíblicas famosas: Senhor dos Senhores, Rei dos Reis, e Santo dos Santos, para citar alguns exemplos.

O título do livro eventualmente levou o nome do rei Salomão por causa da menção de seu nome ao longo do livro (1:5; 3: 7, 9, 11, 8:11-12). Esta mudança de título também suporta a visão tradicional de Salomão como o autor do livro. Embora muitos críticos nos últimos dois séculos tenham contestado a autoria de Salomão, a evidência interna parece apoiá-lo, não só por causa das aparições de nome de Salomão, mas por causa da evidência de sua vantagem real (3:6-11) e suas numerosas esposas e concubinas (6: 8).

Qual o contexto?

Salomão escreveu o livro durante o seu reinado como rei de Israel, o que significa que ele compôs em algum momento entre 971 e 931 a.C. Os estudiosos que defendem a autoria de Salomão tendem a concordar que o Cântico foi escrito no início de seu reinado, e não apenas por causa da exuberância juvenil da poesia, mas porque o seu harém de 140 mulheres, mencionado em 6:8, é relativamente baixo em número em comparação à contagem final de 1.000 (1 Reis 11:3). Além disso, o autor mencionou nomes de lugares tanto do norte e do sul do país, incluindo o Líbano e Egito, lembrando-nos da relativa paz e boas relações entre estas nações no início do reinado de Salomão.

Por que esse livro é tão importante?

Este livro continua a ser singular dentro do Antigo Testamento por pelo menos duas razões: seu caráter como um  poema único, e seu tema, particularmente a discussão franca de amor entre um casal. A disposição de Cantares para abordar o tema do amor físico dentro do casamento deixou muitos de seus leitores, ao longo da história, constrangidos, tanto assim que o rabino Aquiva teve de defender vigorosamente o lugar do livro no cânon judeu, e mais tarde,  em 90 d.C., no Conselho de Jamnia.² Mas como um testamento à beleza do relacionamento conjugal em sua plenitude, Cantares de Salomão se destaca com sua visão excepcionalmente detalhada dessa bela realidade.

Qual é a ideia principal?

A plenitude da união que ocorre no casamento é descrita em algumas das linguagens poéticas mais esplêndidas em toda a Bíblia. Em um mundo onde muitos falam dos dons especiais de Deus com a frieza clínica ou apática da linguagem estatística, a paixão da poesia de Salomão satisfaz um mundo sedento pela verdade sobre o casamento. Salomão começou a sua descrição desse relacionamento com os dois amantes em namoro ansiando por afeto,  expressando seu amor um pelo outro (Cantares 1:1-3:5). Eventualmente, eles se unem em casamento, com o noivo exaltando a beleza de sua noiva antes deles consumarem o relacionamento (3:6-5:1). Finalmente, ela sofre com o medo da separação, enquanto ele tranquiliza a noiva com suas afeições a ela (5:2-8:14). Tudo isso reforça o tema da bondade do casamento. Alguns sugerem que o livro também retrata, de uma forma mais geral, o amor de Cristo por Sua noiva, a Igreja.

Como colocar em prática?

Do namoro ao casamento com a certeza do amor, Cantares de Salomão apresenta poeticamente uma ampla gama de eventos e sentimentos nos dias que antecedem e durante o casamento, oferecendo encorajamento para um amor duradouro em meio aos medos e ciúmes mesquinhos que certamente ameaçam até mesmo o mais sólido dos relacionamentos. Devemos prestar atenção às palavras sublimes de Cantares, por continuar a valorizar o casamento como um dos fundamentos da sociedade, apreciando a bondade e a beleza concebida na união de duas pessoas no sagrado matrimônio.

Você considera o seu casamento um sinal da bondade e da beleza de Deus trabalhando em sua vida, ou ele se tornou bem menos do que isso no decorrer do tempo? Cantares de Salomão nos lembra que tanto o casamento quanto a união física que segue têm suas origens em Deus; devemos considerar, portanto, cada um deles como a prova de Sua graça trabalhando no mundo.

Notas de rodapé

  1. Dennis F. Kinlaw, “Song of Songs,” em The Expositor’s Bible Commentary: Old Testament, ed. condensada, ed. Kenneth L. Barker e John R. Kohlenberger III (Grand Rapids: Zondervan, 1994), 1027.
  2. Tom Gledhill, The Message of the Song of Songs: The Lyrics of Love (Downers Grove, Ill.: InterVarsity, 1994), 35.

Artigos