Quem escreveu o livro?

O profeta Ageu escreveu suas quatro mensagens ao povo judeu de Jerusalém em 520 a.C., dezoito anos após seu retorno do exílio na Babilônia (538 a.C.). Ageu 2:3 parece indicar que o profeta tinha visto Jerusalém antes da destruição do templo e o exílio em 586 a.C., o que significa que ele já tinha mais de 70 anos de idade no momento que ele proferiu suas profecias. A partir desses fatos, a imagem de Ageu começa a entrar em foco. Ele já era um homem mais velho olhando por trás das glórias de sua nação, um profeta imbuído de um desejo apaixonado de ver o seu povo se levantar das cinzas do exílio e reclamar o seu lugar de direito como a luz de Deus às nações.

Qual o contexto?

A profecia de Ageu veio num momento em que o povo de Judá estava extremamente vulnerável. Eles foram humilhados pelo seu exílio para a Babilônia, ficaram esperançosos com seu retorno à Terra Prometida e depois desanimados pela oposição em sua reconstrução do templo, da qual eles eventualmente desistiram (Esdras 4:24). Agora, 16 anos depois, com Ageu explicando a falta de alimentos, roupas e abrigo como sendo consequência da incapacidade de reconstruir o templo, os judeus estavam receptivos à sua mensagem de reconstruir a casa do Senhor.
Ao contrário da maioria dos outros profetas, Ageu explicitamente datou suas profecias, até o dia específico. Ele deu quatro mensagens separadas, a primeira em 29 de agosto de 520 a.C. (Ageu 1:1); a segunda em 17 de outubro de 520 a.C. (2:1); e os dois últimos em 18 de dezembro de 520 a.C. (2:10, 20). Estas mensagens encorajaram o povo de Judá a terminar de construir o templo e ter esperança em Deus para a promessa de bênçãos no futuro.

Por que esse livro é tão importante?

Depois de milhares de anos, o livro de Ageu permanece praticamente único entre os livros dos profetas do Antigo Testamento, por uma razão fundamental: o povo de Judá ouviu! A mensagem de Ageu para reconstruir o templo era apaixonada, simples e direta (Ageu 1:8). Ninguém ficou confuso se sua ordem foi seguida ou não, porque os resultados estavam evidentes para todos verem. Através do ato físico de reconstrução do templo, o povo começou a apresentar uma mudança na sua vida espiritual: de auto devoção para a devoção a Deus.

Qual é a ideia principal?

Ageu tinha uma mensagem importante para os judeus que haviam retornado recentemente do exílio. Eles tinham esquecido o seu Deus, preferindo se concentrar em seus próprios interesses, de modo que era hora de “ve[rem] os seus caminhos” (Ageu 1:5, 7). Nada era mais importante para os judeus do que mostrar que o Senhor estava no centro de seus pensamentos e ações, portanto Ageu os orientou para concluir a reconstrução do templo de Deus.
No entanto, ao invés de deixá-los a sós com a tarefa de reconstrução, Ageu continuou a pregar aos judeus, incentivando-os com a esperança da glória futura no templo e uma vitória a vir sobre os inimigos do povo de Deus (2:7-9, 21-22). De acordo com a mensagem de Ageu, se o povo colocasse Deus no centro de suas vidas, eles iriam perceber as futuras bênçãos que Deus tinha reservado para eles.

Como colocar em prática?

Os judeus que emigraram da Babilônia para a sua terra natal de Judá enfrentaram oposições intensas, tanto externas como internas. Esdras 4:1-5 registra a resistência externa ao projeto de reconstrução do templo. Os inimigos de Judá primeiro tentaram se infiltrar no meio dos construtores, e quando isso não funcionou, eles recorreram a táticas de intimidação. Ageu, por outro lado, centrou-se na oposição interna que eles enfrentavam, ou seja, do seu próprio pecado. Os judeus haviam colocado seus próprios interesses totalmente à frente dos interesses do Senhor, cuidando de sua própria segurança e proteção sem levar em consideração o estado da casa do Senhor.
O encorajamento de Ageu para reconstruir o templo em face da negligência dos judeus traz à mente a exortação do apóstolo Paulo aos cristãos para construir nossas vidas sobre o alicerce de Jesus Cristo (1 Coríntios 3:10-17). Você está construindo uma vida que reflete seu status como um templo do Espírito Santo, deixando um legado que vai resistir ao teste do tempo? Encontre o incentivo para esse projeto de construção nos quatro sermões apaixonados deste profeta do Antigo Testamento.


Artigos