Leia Romanos 14

 

Em sua carta aos Romanos, Paulo entra em detalhes sobre a questão de liberdade pessoal – detalhes maiores do que em qualquer outro texto. No capítulo 14, por exemplo, ele estabelece quatro orientações muito práticas que podem ser seguidas por todos aqueles que levam a sério a questão de libertar os outros em graça.

Orientação 1: Aceitar os outros é fundamental para deixar que eles sejam o que são. 
A questão não era um problema com a carne; era um problema com o amor, um problema de aceitação. Como é comum restringirmos nosso amor ao transformá-lo em algo condicional: ‘Se você fizer (ou não fizer), então vou aceitá-lo’. Paulo começa por aí: “Aceitem uns aos outros”. Em outras palavras, vamos permitir aos outros a liberdade de se apegarem a convicções diferentes das nossas… e aceitá-los a despeito dessa diferença.
Orientação 2: Recusar-se a dar ordens aos outros permite que o Senhor tenha liberdade para conduzir a vida deles.
Gosto especialmente da declaração do final do versículo 5: ‘Cada um deve estar plenamente convicto em sua própria mente’. Dê às pessoas o devido espaço para que elas tomem suas próprias decisões. Deixe que aprendam de acordo com seu próprio ritmo, como você mesmo aprendeu, incluindo os fracassos e os erros. Se você realmente quer que a graça desperte, seja mais suave com eles do que os outros foram com você.
Orientação 3: Libertar os outros significa que nunca assumimos uma posição que não temos qualificação para cumprir.
Essa única frase já é o suficiente para fazer qualquer pessoa parar de julgar outra. Não somos qualificados. Carecemos de conhecimento pleno. Com que frequência simplesmente chegamos a conclusões erradas. Fazemos declarações de julgamentos e terminamos descobrindo mais tarde quão por fora estávamos.
Orientação 4: Amar os outros exige que expressemos nossa liberdade em sabedoria.
O amor é o que deve governar. Não estou por minha conta; fui comprado por um preço. Meu propósito não é agradar a mim mesmo; é agradar ao meu Senhor. Isso também vale para você! Assim sendo, o resumo é este: não adapto a minha vida por causa daquilo que você possa dizer; adapto a minha vida tendo como base meu amor por você, porque respondo a Cristo.

Anexos
Charles R. Swindoll

Charles R. Swindoll tem dedicado a sua vida ao ensino preciso e prático da Palavra de Deus e sua aplicação. Desde 1998, atua como pastor-professor sênior na Stonebriar Community Church, igreja da...

Ver todos os posts

Posts relacionados