Quando as palavras falham, as lágrimas transbordam.

As lágrimas têm uma linguagem própria, uma língua que não precisa de intérprete. De uma forma misteriosa, nosso complexo sistema de comunicação interior sabe quando admitir suas limitações verbais e, assim, as lágrimas vêm.

Olhos que brilhavam e saltitavam há poucos momentos, agora estão inundados por um reservatório secreto. Nós tentamos em vão reter a corrente, mas mesmo os homens mais fortes não conseguem.

Lágrimas não têm consciência própria. Elas podem aparecer quando estamos falando em público ou ao lado de pessoas que vêm até nós procurando por força. Mais frequentemente, elas aparecem quando a nossa alma está sobrecarregada de sentimentos que palavras não podem descrever.

Nossas lágrimas podem rolar quando cantamos um grande e magnifico hino, quando estamos sozinhos, perdidos em alguma vívida memória ou lutando em oração.

Você sabia que Deus presta uma atenção especial a essas suas lágrimas? O Salmo 56.8 diz: “Registra, tu mesmo, o meu lamento; recolhe as minhas lágrimas em teu odre; acaso não estão anotadas em teu livro? ”.

Ele as coloca em seu vaso e as anota no arquivo que mantém de nossas vidas. Davi disse: “O Senhor ouviu a voz do meu pranto”.

O cair de uma lágrima no chão chama o Senhor. Ao invés de se envergonhar ou se desapontar, Ele toma notas dos nossos atritos internos, que são lubrificados com lágrimas, quando passamos por tempos difíceis. Ele transforma essas situações em momentos de ternura; nunca se esquece dessas crises em nossas vidas, dessas lágrimas que foram derramadas.

 

Crescendo nas estações da vidaDr. Charles R. Swindoll

manche, navio, controle, Deus está
perguntas frequentes
Charles R. Swindoll

Charles R. Swindoll tem dedicado a sua vida ao ensino preciso e prático da Palavra de Deus e sua aplicação. Desde 1998, atua como pastor-professor sênior na Stonebriar Community Church, igreja da...

Ver todos os posts

Posts relacionados