Cinco princípios simples, cada um deles ligado a uma exortação, nos ajudarão a manter o foco na verdadeira fonte de cura, ao mesmo tempo que ignoramos os mascates que promovem uma falsa esperança.
 1- A vontade de Deus é soberana; respeite-a.
Às vezes é difícil entender a vontade de Deus a partir de nossa perspectiva limitada e terrena. É ainda mais difícil aceitá-la quando há um grande sofrimento envolvido. Mesmo quando oramos, devemos lembrar que Deus está certo em todos os seus caminhos, até mesmo no que se refere às nossas aflições. Contudo, nosso sofrimento é profundamente sentido por ele. E, para aqueles que são seus, todo sofrimento se torna um meio pelo qual Deus traz, posteriormente, bênçãos ainda maiores (Romanos 8:26-28).
2- Assistência médica é fundamental; busque-a.
A oração nunca teve o propósito de substituir cuidado médico competente. A graça de Deus distribuída a todas as pessoas, não apenas àquelas que responderam ao seu chamado, inclui o dom da ciência médica. De fato, Deus pode optar por responder ao seu pedido de cura usando as mãos de um médico não crente (Lucas 10:33-35).
3- A oração intercessória é um mandamento de Deus; obedeça-lhe.
Ao mesmo tempo que fazemos tudo o que está ao nosso alcance para trazer cura, esperança e incentivo aos outros, devemos fazer isso sob a providência de Deus. Eles nos convida a entregar-lhe todos os assuntos, pois se importa profundamente com aqueles que estão feridos (Filipenses 4:6). Podemos confiar que Ele fará tudo o que é certo (Mateus 7:7-11).
4- A confissão de pecado é sadia; pratique-a.
Nem todas as doenças estão relacionadas aos pecados pessoais daquele que passa por aflição; contudo, nem sempre podemos excluir essa possibilidade. A confissão e o arrependimento de pecados, mesmo daqueles que consideramos insignificantes, nunca é inadequada. Mesmo se o pecado não tiver nada a ver com a doença, a confissão e o arrependimento mantêm nosso relacionamento com o Senhor livre de questões que possam atrapalhar a cura (Tiago 5:16 / I João 1:8-9).
5- Toda a cura vem de Deus; comemore isso.
Sempre que a saúde de alguém é restaurada, seja pela especialidade de um profissional médico ou por meio de intervenção direta e sobrenatural, é Deus quem merece o crédito. Nunca será um engano louvar a Deus e agradecer–lhe por curar e sustentar a saúde (Tiago 1:17 / I João 5:14-15).

Anexos
Charles R. Swindoll

Charles R. Swindoll tem dedicado a sua vida ao ensino preciso e prático da Palavra de Deus e sua aplicação. Desde 1998, atua como pastor-professor sênior na Stonebriar Community Church, igreja da...

Ver todos os posts

Posts relacionados