Em nossa caminhada, sempre buscamos nos espelhar em alguém.

O melhor modelo de vida que podemos encontrar está na Palavra de Deus. Nela vemos vários textos que nos ensinam qual deve ser o nosso referencial.

Em sua carta à igreja de Corinto, Paulo vem orientar a conduta daqueles irmãos, ao ensiná-los a se comportar na casa do Senhor, tratando sobre ordem, disciplina e responsabilidade.

No versículo 1 do capítulo 11 de 1 Coríntios, Paulo mostra seu referencial. Ele honra aqueles irmãos, pois vê que eles realmente estão buscando imitá-lo. Imitar é ser discípulo, fazer o que o mestre faz, aprender com ele aquilo que se tem que fazer. Paulo diz “Como eu aprendi de Cristo, vocês devem aprender de mim e fazer o que eu faço”. Paulo os elogia por terem aprendido que deveriam fazer aquilo que ele ensinou. Os ensinamentos de Paulo mostram que Cristo é o cabeça, é o chefe. É Ele que fala o que tem que ser feito. E nós devemos imitar esse exemplo também.

O elogio de Paulo transforma-se em crítica a partir do versículo 17. Quando aquela igreja se reunia, em vez de promover o bem comum, estava promovendo o mal. Principalmente porque havia divisões entre eles. Essas divisões eram expressas não só nas diferenças pessoais, mas no valor e respeito que davam às coisas e ações dentro da igreja.

Aquelas pessoas não entenderam o que deveriam fazer juntas.  Estavam ali por causa de outras coisas, e não por Jesus. Iam à igreja usufruir das coisas da igreja, mas não viviam a razão da igreja. Afirmavam estar ali para a Ceia do Senhor, mas estavam buscando o seu próprio interesse, e não as coisas do Senhor.

Esse é um cuidado que devemos ter. Se Jesus é o Senhor da nossa vida, devemos avaliar como tratamos as coisas da Igreja de Jesus, e como nos comportamos quando estamos juntos.

Um exemplo é a Ceia do Senhor, que traduz o nosso interesse pelo Senhor na nossa reunião. Quando nos reunimos para a Ceia, é por tudo aquilo que ele fez na cruz do calvário, entregando seu corpo e seu sangue para a nossa salvação. Qualquer outro motivo não será válido.

Devemos entender a seriedade dos momentos em que nos reunimos como igreja. A nossa negligência trará consequências à nossa vida. Precisamos tomar cuidado, porque muitas das nossas dores são trazidas à nossa vida por nós mesmos, quando desprezamos as coisas de Deus, quando desrespeitamos as coisas do Senhor, ou trazemos divisões entre nós, enquanto estamos participando da mesa do Senhor.  A nossa atitude na casa do Senhor é muito importante para que a nossa experiência seja correta.

Que cada um de nós aprenda com essa carta de Paulo, e que nossos ajuntamentos sejam lugares em que realmente o Senhor é que importa, é o cabeça, que nos ensina, que cria o ambiente em que precisamos estar. Não queremos um ambiente de contendas, competições, e irresponsabilidade, mas queremos criar um ambiente onde se teme e respeita o Senhor. Queremos aprender a viver entre irmãos a construir esse corpo que é a Igreja de Jesus. Que assim seja!

 

Pr. Fernando Bochio

conhecendo melhor
Fernando Bochio

Fernando Bochio é pastor há mais de 35 anos. Professor de Teologia, conferencista, consultor internacional para organizações cristãs, atua também no mentoreamento e coaching de pastores e lidere...

Ver todos os posts

Posts relacionados